Centenário do Coliseu Micaelense assinalado este ano com cem eventos

coliseu micaelense A maior casa de espectáculos dos Açores, o Coliseu Micaelense, assinala este ano o seu centenário com um programa comemorativo que irá integrar cem eventos.
“A programação das comemorações do centenário do Coliseu Micaelense que terá forma, durante o ano de 2017, em 100 eventos multifacetados, distribuídos nas seguintes categorias: preservação,  distinção,  programação e  colaboração”, disse ontem o director do Coliseu, Miguel Brilhante, em conferência de imprensa, em Ponta Delgada.
Segundo revelou o responsável, no âmbito da preservação, serão recuperados eventos âncora da história do Coliseu, tais como a Lanterna Mágica, de José Barbosa, a ser recriada pela Associação Solidariedarte, e será renovado o Pólo Museológico, através da introdução de mais informação alusiva e no incremento de novas tecnologias promotoras de novos nichos de mercado, tais como os de turismo cultural, interno e externo, com a preciosa colaboração da RTP/Açores e outros parceiros privados. Será ainda criada uma Micro Biblioteca Temática com a colaboração de editoras e espólios privados e um espaço de ‘souvenirs’ para fortalecer os roteiros turísticos das visitas guiadas.
O programa das comemorações prevê ainda atribuir distinções honoríficas municipais a personalidades determinantes nos 100 anos de histórias de gerações desta casa de espectáculos, em homenagens públicas através de exposições e/ou espectáculos alusivos e na celebração de dias comemorativos na sua vasta história.
No que diz respeito à programação, Miguel Brilhante destacou que serão promovidos dois “grandes eventos” musicais com artistas internacionais; um a dois grandes eventos nacionais mensais (alguns em fusão com artistas locais); os grandes Bailes de Carnaval 2017; a potencialização do Teatro e da Comédia; a diversidade musical nos mais distintos espaços, quer no formato de café concerto, quer em Noites de Fado; a participação de artistas e agrupamentos locais na promoção da nossa cultura padrão; o lançamento de duas obras alusivas à história do Coliseu Micaelense e a realização de quatro grandes exposições – uma da Colecção de Serralves e três de conceituados artistas nacionais e regionais.
Por outro lado, a categoria da colaboração refere-se, segundo afirmou Miguel Brilhante, “ao esforço, dedicação, confiança e, acima de tudo, respeito e elevada consideração, por uma casa de espectáculos que é de cada um de nós e que cada um de nós narra, certamente, uma memorável história”.

“O melhor Coliseu de Portugal”

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada destacou o Coliseu Micaelense como uma “referência para a cultura e para o país”, apontando-o mesmo “o melhor Coliseu de Portugal”.
José Manuel Bolieiro referiu, na conferência de imprensa, que “este é um ano que junta substância e a actividade cultural habitual levada a cabo pelo Coliseu às comemorações dos 100 anos de existência desta casa”.
O autarca defendeu que “o Coliseu está preparado para dar dimensão cultural a Ponta Delgada e aos Açores. O seu valor e acreditação nacional e internacional deve-se ao profissionalismo dos que aqui trabalham, aos patrocinadores, aos que permitiram que este Coliseu existisse e aos que o reabilitaram, não o deixando ficar em ruínas”.
“É importante que o Município não esqueça a simbologia desta instituição de cultura icónica e valorize a história do Coliseu Micaelense em Ponta Delgada” reforçou, ainda, o autarca.
Já em 2018 será lançado um livro sobre a comemoração dos 100 anos de cultura do Coliseu Micaelense.