CDS quer saber que conversações mantém a Região com a Ryanair

Ryanair O Presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP Açores, Artur Lima, questionou, ontem, o Governo Regional sobre eventuais conversações que a companhia aérea de baixo custo Ryanair diz estar a manter com a Região no sentido de vir a abrir novas rotas no arquipélago.
Num requerimento entregue no Parlamento dos Açores, Artur Lima lembra declarações públicas e recentes do Director de Operações da companhia aérea de baixo custo Ryanair, proferidas, no âmbito de uma conferência de imprensa, em Ponta Delgada, para apresentar a operação do próximo Inverno daquela companhia nas ligações que efectua de e para os Açores, onde aquele responsável pela companhia afirmou que “existem conversações com o Governo dos Açores para criar novas rotas no arquipélago”.
Ora, vindo esta afirmação de um director de uma empresa de aviação concorrente com do Grupo SATA, do qual a Região é accionista maioritária, o líder parlamentar popular entende que é fundamental “perceber que intenções tem o Governo Regional relativamente à abertura de novas rotas por parte de uma companhia privada estrangeira”.
Assim, Artur Lima questiona o Executivo socialista sobre “que conversações tem mantido o Governo Regional com a companhia aérea de baixo custo Ryanair?” e que “novas rotas está o Governo Regional interessado que aquela empresa possa vir a realizar no futuro e para que ilhas?”.
Por outro lado, pergunta o Presidente democrata cristão “que contrapartidas está o Governo Regional disposto a conceder à companhia aérea de baixo custo Ryanair para que possam ser abertas estas novas rotas?” e “porque motivo está o Governo Regional a negociar com uma companhia privada e estrangeira a abertura de novas rotas para os Açores, quando é accionista maioritário do Grupo SATA?”.
Por fim, Artur Lima quer saber se “vão estas novas rotas que se perspectivam abrir concorrer directamente com rotas já operadas pelo Grupo SATA?” e se, “para além das conversações existentes com a Ryanair, está o Governo Regional a manter conversações semelhantes com outras companhias aéreas de baixo custo tendo em vista o mesmo fim?”.