150 mil lâmpadas iluminam a partir de hoje o Santuário e o Campo de São Francisco

Humberto Moniz 2017 Aos 81 anos de idade, Humberto Moniz passa os dias que antecedem o fim-de-semana das Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres sentado no lado norte do Campo de São Francisco a observar os trabalhos de montagem das luzes que vão iluminar a fachada do Santuário.

Apesar da avançada idade, continua a acompanhar até ao último dia os trabalhos que começaram a 24 de Abril. À conversa com o Diário dos Açores, Humberto Moniz adianta que este ano vão dar luz e cor ao Santuário do Santo Cristo e ao Campo de São Francisco um total de 150 mil lâmpadas. “As lâmpadas têm sete cores: branco, vermelho, amarelo, verde, roxo, azul e o opalino. As pessoas pensam que todos os anos é igual, mas há sempre diferenças e as cores mudam”, salienta o responsável.

A iluminação será inaugurada esta noite, pelas 21 horas, marcando o arranque do arraial da maior festa religiosa dos Açores, que ano após ano leva à cidade de Ponta Delgada milhares de pessoas, entre locais, açorianos de várias ilhas, emigrantes e turistas. A inauguração contará com a execução do hino do Senhor Santo Cristo, seguida de desfile da Charanga dos Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada. 

O momento é o culminar de semanas de trabalho de cerca de 40 trabalhadores, desde electricistas a carpinteiros e pedreiros.

Segundo conta Humberto Moniz, este ano os trabalhos estão a cargo de um empreiteiro. “Eu é que sou responsável por isso, assino os termos de responsabilidade perante a EDA, pois estão aqui envolvidas potências muito grandes, mas tenho confiança no rapaz que agora está aqui. Foi meu aprendiz”, conta.

 

Sete décadas ligado à iluminação das festas

 

Para trás, estão quase 70 anos como responsável pela iluminação destas festividades. É o “homem das luzes”.

“Vim para aqui aos 12 anos e aos 26 já era encarregado. Isto para mim é tudo. Gosto de estar aqui. Tenho muita fé e adoro a imagem do Senhor Santo Cristo”, afirma.

“Quando era rapaz”, continua, “o meu trabalho era transportar escadas e outros materiais de um lado para o outro. Só depois é que fui aprendendo a fazer ligações e a colorir as lâmpadas de vários tons”.

Humberto Moniz foi quem idealizou os motivos que figuram na fachada da igreja, na sacristia, no coreto do Campo de São Francisco e no torreão. 

Ao nosso jornal recorda que foi ele quem fez os desenhos, deu a orientação para a parte eléctrica e para as pinturas, explicando que o que dá mais trabalho entre todo o processo é a coloração das lâmpadas, feita com um verniz especial. Ano após ano, umas lâmpadas são pintadas e outras descoloridas com acetona”, relatou.

Quanto às expectativas para o fim-de-semana das festas, em especial para esta noite, Humberto Moniz salienta que o “importante é que esteja bom tempo”. “Se tiver que haver mau tempo, que venha antes, porque mesmo com tempo mau os trabalhos da iluminação avançam. Agora, mau tempo durante as festas é que não é bom”, conclui.

Por: Alexandra Narciso