General Eduardo Faria será o novo Presidente da Protecção Civil dos Açores

general eduardo faria 1

O General Eduardo Faria, ex-Comandante da Zona Aérea dos Açores, será o novo Presidente do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores, soube o nosso jornal junto de fonte daquela estrutura.

O Presidente anterior, Carlos Neves, deixou o cargo no final do ano, estando o serviço a ser gerido pelo Vice-Presidente.

O novo responsável deverá tomar posse nas próximas semanas, segundo  adiantou ao “Diário dos Açores” a mesma fonte.

O Brigadeiro-General Piloto Aviador Eduardo Jorge Pontes De Albuquerque Faria foi o Comandante da Zona Aérea dos Açores em 2016 e é considerado um militar com uma vasta experiência.

O Presidente do Governo anterior, Vasco Cordeiro, quando o recebeu em 2016 naquelas funções elogiou-o, salientando que o Brigadeiro-General Eduardo Faria, à sua competência e capacidade de liderança, acrescenta também um “conhecimento profundo daquela que é a realidade açoriana”, uma vez que, ao longo dos anos, tem desempenhado várias funções nos Açores.

 O Brigadeiro-General Eduardo Faria nasceu em Barcelos, tem cerca de 40 anos de serviço efectivo e está habilitado com o curso de pilotagem aeronáutica da Academia da Força Aérea, tendo efectuado o estágio final de pilotagem nos Estados Unidos da América. 

Possui o curso NATO Staff Officer, estágio CIMIC (UK), estágio de estados-maiores conjuntos e vários cursos e estágios relacionados com a área de pilotagem aeronáutica.

 Ao longo da sua carreira prestou serviço em diversas unidades e estabelecimentos das forças armadas, como a Academia Militar, Escola Militar de Electromecânica, BA1 (Sintra), BA3 (Tancos), BA6 (Montijo), Gabinete do CEMFA, CINCSOUTHLANT (oeiras) e BA4.

 Desempenhou as funções de piloto-comandante do helicóptero SA-330 Puma na esquadra 751 e na extinta esquadra 711 (da qual foi comandante), funções de assistente do chefe de gabinete do CEMFA, responsável pelos assuntos relacionados com o diálogo do Mediterrâneo e com a parceria para a paz (PFP), como “Plans and Policy Officer”. 

Em maio de 2005 comandou o destacamento de C-130 em Kabul (Afeganistão) enquanto desempenhava as funções de comandante do grupo operacional 41 da BA4.

 Em setembro de 2007 assumiu o cargo de adido de defesa na embaixada de Portugal em Roma, acumulando as suas funções com a Turquia e Israel, até junho de 2010.

 Regressou às Lajes em 2016 para desempenhar o cargo de Chefe do Estado-Maior da Zona Aérea dos Açores, acumulando com as funções de piloto comandante de SA-330 Puma, aeronave na qual contabiliza mais de 4.000 horas de voo.

 Em outubro de 2012 toma posse como comandante da BA4, até ser nomeado para o Curso de Promoção a Oficial General, em novembro de 2014.

 Nestas últimas funções esteve particularmente envolvido no processo de redução do contingente americano estacionado nas Lajes, sobretudo na identificação de possíveis lacunas e sua mitigação.

 Em setembro de 2015 é nomeado para chefiar a Divisão de Planeamento da Força Aérea, onde esteve colocado até 3 de outubro de 2016, altura em que foi nomeado para Comandante da Zona Aérea dos Açores.

 Da sua folha de serviços constam a medalha de prata de comportamento exemplar, medalha ouro de comportamento exemplar, medalha de louvor da cruz vermelha portuguesa, medalha de ouro de serviços distintos colectiva (Presidente da República), a medalha “NATO non-article five”, medalha de S. Jorge 1ª classe, medalha de mérito aeronáutico 1ª classe, medalha de mérito militar 1ª classe e vários louvores de general/almirante e coronel.

 É casado e tem uma filha.