Artigos

PSD/Açores lamenta “terrorismo político” do PS para disfarçar má proposta para a Saúde

Duarte freitasO PSD afirmou quinta-feira que “a proposta de cortes” para o Serviço Regional de Saúde apresentada pelo Governo Regional “é má” e lamentou que dirigentes socialistas a tentem disfarçar com ataques “deploráveis” e de “terrorismo político” à oposição.
“Não é admissível que o Partido Socialista tente intoxicar a opinião pública açoriana com a ideia de que a sua proposta de cortes para o Serviço Regional de Saúde é boa. Não, ela é má. Ela representa a austeridade que o Governo Regional socialista quer impor na prestação de serviços de saúde aos açorianos”, lê-se num comunicado da direcção do PSD/Açores.
Segundo avançou a Lusa, em causa está a proposta de reestruturação do Serviço Regional de Saúde (SRS) que o Governo dos Açores, socialista, divulgou recentemente e está agora em fase discussão pública.
Para o PSD/Açores, PS e Governo Regional querem “agravar ainda mais o acesso dos açorianos aos serviços de saúde, quando se propõem encerrar centros de saúde e extinguir serviços em hospitais”.
O PSD refere, em concreto, os hospitais da Terceira e do Faial, sublinhando que se a proposta do executivo avançar serão retiradas especialidades e serviços das duas unidades, ao contrário de compromissos assumidos por governos anteriores do PS.
O partido aponta também que o PS açoriano “prometeu que se voltariam a realizar partos na ilha do Pico”, mas isso não está contemplado na proposta, estando a ser construído um centro de saúde preparado para especialidades que nunca funcionarão.
Também São Jorge merece referência por parte do PSD, que assegura que já estão a ser cortados serviços na ilha.
Por outro lado, a direcção do PSD/Açores “repudia e lamenta as declarações absolutamente deploráveis e de verdadeiro terrorismo político” que fez o líder da bancada do PS no parlamento da região, Berto Messias.
O líder parlamentar do PS nos Açores defendeu que a reforma do SRS é essencial para a sua sustentabilidade e acusou PSD e CDS de “demagogia” e “populismo” para obterem “dividendos eleitorais”.
“A demagogia e o terrorismo político do Partido Socialista dos Açores são provocatórios para quem se disponibilizou para o diálogo. Só um grande sentido de responsabilidade do PSD/Açores nos leva ainda a manter as portas deste diálogo abertas”, lê-se no texto, que sublinha que os sociais-democratas foram chamados pelo governo açoriano para apresentar propostas para o SRS e responderam “positivamente ao apelo”.
“A disponibilidade que o PSD/Açores demonstrou para o diálogo nesta matéria já foi consumada com a apresentação de propostas concretas. Não admitimos agora que o governo, em vez de governar e decidir, sujeitando-se democraticamente a criticas, mais não faça do que atirar cortinas de fumo e atacar a oposição, tentando disfarçar a sua proposta de austeridade para o SRS”, acrescenta o PSD.
A proposta estará em debate público durante dois meses. O Governo Regional tem reiterado que o documento não está fechado e esta fase serve para receber contributos, dizendo ainda que não prevê o encerramento de qualquer “posto médico ou de enfermagem”.