Artigos

Porto de Ponta Delgada aumentou movimento de mercadorias em 2015

Porto de Ponta DelgadaO movimento de mercadorias no porto de Ponta Delgada aumentou de 2014 para 2015, segundo dados divulgados ontem pelo INE (ver gráfico).
Em 2014 o porto de Ponta Delgada movimentou 1.142 mil toneladas, enquanto que em 2015 foi de 1.222 mil toneladas.
Trata-se de um crescimento que contraria o discurso de alguns responsáveis políticos, segundo o qual o movimento estava a diminuir nos últimos anos e, por isso, não se justificava obras de ampliação neste porto.
De resto, o movimento de mercadorias nos portos nacionais atingiu 86,9 milhões de toneladas em 2015, aumentando 7,7% e superando o resultado do ano anterior (+3,2%).
O movimento repartiu-se entre 36,0 milhões de toneladas carregadas (+4,5%) e 50,9 milhões de toneladas descarregadas (+10,0%).
O tráfego internacional (75,9 milhões de toneladas) correspondeu a 87,4% do total (+1,8 p.p.).
Salientou-se o Porto de Sines (50,2% do movimento internacional) com 38,1 milhões de toneladas (+20,8%), as quais representaram 92,4% do movimento do porto.
O porto de Leixões assegurou 18,9% do tráfego internacional (14,3 milhões de toneladas, +4,5%), enquanto a Lisboa coube 11,9% do movimento internacional (9,0 milhões de toneladas, -1,2%).
O movimento de granéis líquidos (33,5 milhões de toneladas) registou um aumento de 13,0%, alcançando uma importância de 38,5% face ao total de mercadorias movimentadas.
Nas mercadorias carregadas, salienta-se o grupo 07 – “Coque e produtos petrolíferos refinados” (27,7% do total), que, com um aumento de 19,5%, atingiu 10,0 milhões de toneladas carregadas, bem como o 09 – “Outros produtos minerais não metálicos”, que, apesar da diminuição (-6,5%), correspondeu a 17,3% do total (6,2 milhões de toneladas).
Relativamente às mercadorias descarregadas, predominaram os grupos de mercadorias relacionados com combustíveis naturais e seus derivados, como o 02 – “Hulha e lenhite; petróleo bruto e gás natural” (15,3 milhões de toneladas, 30,0% do total) e 07 – “Coque e produtos petrolíferos refinados” (12,0 milhões de toneladas, 23,6% do total).
No que respeita a passageiros em navios de cruzeiro, os quais totalizaram 1,3 milhões, é de salientar o aumento de13,5% em 2015, contrariamente ao decréscimo do ano anterior (-3,6%).