Artigos

Açores recebem mais de 3 ME para investigação e inovação em aquacultura

peixesO Director Regional da Ciência e Tecnologia afirmou ontem, em Ponta Delgada, que o Governo dos Açores está a “criar condições” para que a Região possa aceder a fundos europeus para o desenvolvimento de actividades de investigação e inovação em aquacultura, acrescentando que, no caso do projecto MARINA, o valor corresponde a cerca de três milhões de euros.
 Bruno Pacheco falava na sessão de abertura do workshop ‘Investigação e Inovação Responsáveis – Pesca e Aquacultura Sustentáveis’, no âmbito do projecto MARINA - Plataforma de Partilha de Conhecimento para Congregação de Investigação Responsável e Comunidades de Inovação”, financiado pelo programa Horizonte 2020.
Na sua intervenção, o Director Regional salientou que este encontro, que pretende debater “de forma objectiva” questões relacionadas com a aquacultura e o desenvolvimento sustentável, pode “contribuir para uma maior capacitação nesta área” na Região, lembrando que um dos objectivos do Governo dos Açores é “criar as condições para a instalação de projectos industriais nesta área da economia do mar”.
Bruno Pacheco destacou a criação de “linhas de trabalho para a internacionalização do sistema científico e tecnológico regional”, defendendo que os Açores têm “capacidade e competências instaladas nalgumas áreas que permitem situar a Região em consórcios de elevado nível e competitividade”.
 Nesse sentido, referiu que, alinhada com a estratégia da RIS3, a internacionalização do sistema científico e tecnológico permitirá “captar para os Açores mais e melhores projectos e uma maior qualificação dos recursos [humanos]”.
O Director Regional da Ciência e Tecnologia salientou ainda “a necessidade de diversificar e optimizar as fontes de financiamento dos projectos e equipas já instalados”, acrescentando, nesse sentido, que o Fundo para a Ciência e Tecnologia, “com o foco na captação e distribuição de recursos pelos parceiros sediados nos Açores”, tem vindo a desenvolver esforços, em conjunto com várias entidades, entre as quais a Universidade dos Açores.
A título de exemplo, indicou sete projectos H2020 que estão a decorrer ou em vias de se iniciar, referindo ainda os seis consórcios INTERREG MAC 2014-2020, um programa de cooperação territorial entre os Açores, a Madeira e as Canárias, em que o Fundo Regional da Ciência e Tecnologia participa.
 “Ao todo será injectado directamente na economia dos Açores um valor superior a 2,25 milhões de euros”, disse, acrescentando que “uma parte significativa será investida em equipas e empresas de desenvolvimento de projectos e estudos”.
 O Director Regional destacou ainda o cofinanciamento do Executivo açoriano no Programa Operacional de Cooperação Madeira/Açores/Canárias (POMAC) que permitiu captar para a Universidade dos Açores cerca de 800 mil euros, acrescentando que estão a preparadas candidaturas para os programa e mecanismos Espaço Atlântico e ERA-NET.