Secretaria da Saúde diz que não deve 137 milhões ao Hospital de Ponta Delgada

Hospital interiorDa Secretaria Regional da Saúde recebemos a seguinte nota:

“Na sequência do artigo de opinião do jornalista Osvaldo Cabral intitulado “Uma Grande Calamidade!”, publicado nos jornais Diário dos Açores e Diário Insular, no qual sob a forma de opinião e resguardando-se na lacunar expressão “(…) o mais certo é (…)”, é sugerido a existência de uma dívida de 137 milhões de euros por parte do Governo Regional aos Hospitais, E.P.E.R., a Secretaria Regional da Saúde, de modo a que um mero augúrio não se consolide como facto na opinião pública, considera necessário esclarecer o seguinte:

1.  Como reconhece o autor, em parte alguma é afirmado que a dívida de 137 milhões de euros é responsabilidade do Governo Regional, no entanto tal facto não coíbe o autor de afirmar que “(…) o mais certo é ser um cliente quase único: o governo (…).

2. Dos 137 milhões de euros que os Hospitais, E.P.E.R., têm a receber, inscritos na rúbrica “Clientes e Outras Contas”, 93 milhões de euros, ou seja 68%, são responsabilidade de seguros e subsistemas de saúde.

3. Os demais 44 milhões correspondem a montantes a haver de clientes diversos, designadamente particulares e empresas, relativamente aos quais os hospitais, E.P.E.R. têm desencadeado os mecanismos adequados ao seu ressarcimento.

Em suma a dívida de 137 milhões de euros inscrita na rubrica “Clientes e Outras Contas” não corresponde a dívida da responsabilidade do Governo Regional para com os Hospitais, E.P.E.R.

 

Nota de redacção - É bom saber que o Governo Regional não deve nada ao Hospital de Ponta Delgada. 

Só há que agradecer o esclarecimento e, já agora, perguntar o que andam a fazer as administrações dos Hospitais para não receberem estes valores tão significativos e que correspondem a mais do que o movimento anual do HDES?

Se as contas viessem acompanhadas de notas mínimas de explicação da construção dos valores o problema já não se colocaria. 

Já agora quanto deve efectivamente o Governo? 

A Nota 39 do Relatório e Contas do HDES explica, parcamente, uma dívida de 66,7 milhões de euros euros que envolve, em parte, os conflitos entre a Região e a ADSE. 

Paga o Hospital o custo do desentendimento entre governos? 

Como se regulariza?

E a dívida de mais de 67 milhões a fornecedores nas contas deste semestre, quem vai pagar?

O.C.