Associação Académica da Universidade dos Açores anuncia queixa por “cobrança indevida” de propinas

univerirsidade aoresA Associação Académica dos Açores anunciou sexta-feira que vai enviar uma participação à Inspecção-geral da Educação e Ciência, por causa da “cobrança indevida” de propinas na universidade da região.
O anúncio foi feito na página do Facebook da Associação Académica da Universidade dos Açores (AAUA), e é uma decisão que saiu de uma assembleia-geral de alunos que decorreu na quinta-feira à noite.
O presidente AAUA, Marco Andrade, disse à Lusa que o objectivo é, “de uma vez por todas, apurar quem são os responsáveis pela gravíssima situação” que se gerou na universidade açoriana, que está a pedir propinas a estudantes que, alegadamente, ficaram por pagar no passado, embora lhes tenha sido permitido continuarem a matricular-se.
A Associação Académica “tentou, até última instância, solucionar interna e devidamente esta já demasiado extensa problemática”, lê-se no texto publicado na rede social Facebook após a assembleia-geral, que reuniu cerca de 20 estudantes..
A 08 de Julho, a Associação Académica da Universidade dos Açores alertou para “a cobrança indevida” de propinas “a alunos que não as pagaram na totalidade por motivos vários, mas foi-lhes “permitida a matrícula sem requererem o pagamento da dívida que tinham”.
A Associação Académica sublinha que, “de acordo com a legislação e regulamento em vigor, um aluno não se pode matricular num ano a seguir a ter contraído uma dívida e só o poderia ter feito caso efectue o pagamento da dívida”.

Provas de Agregação Tomaz Lopes Ponce Dentinho

univerirsidade aoresRealizaram-se nos dias 10 e 11 de setembro 2012, no Auditório do Complexo Pedagógico de Angra do Heroísmo, as Provas de Agregação na especialidade de Ciências Económicas e Empresariais – Economia Regional e Urbana, requeridas por Tomaz Lopes Ponce Dentinho.
As provas foram avaliadas por um júri presidido pela Senhora Vice-Reitora, Prof.ª Doutora Rosa Maria Baptista Goulart, sendo vogais o Doutor Adriano Lopes Gomes Pimpão, Professor Catedrático aposentado da Universidade do Algarve, o Doutor Pedro Miguel Girão Nogueira Ramos, Professor Catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, o Doutor José da Silva Costa, Professor Catedrático da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, o Doutor José Pedro Veloso de Sousa Pontes, Professor Catedrático do Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa, o Doutor Mário José Amaral Fortuna, Professor Catedrático da Universidade dos Açores e o Doutor Carlos Alberto da Silva Melo Santos, Professor Catedrático da Universidade dos Açores.
As provas constaram, no primeiro dia, da discussão pública, com crítica e defesa, do Curriculum Vitae e de um relatório intitulado “Programa de Economia Regional e Urbana e de uma lição de síntese sobre Modelos de Integração Espacial, no segundo dia, tendo o candidato sido aprovado por unanimidade.

BE alerta para “situação de risco” da Universidade dos Açores

univerirsidade aoresO BE alertou ontem para a gravidade da situação financeira da Universidade dos Açores, considerando que o corte orçamental imposto pelo Governo da República “coloca em causa o funcionamento desta instituição de ensino superior”.
“A Universidade dos Açores, tal como a conhecemos, está em perigo”, afirmou José Cascalho, deputado regional do BE, numa declaração política na Assembleia Legislativa, recordando que a universidade “tem sido um dos pilares de desenvolvimento da região”.
De acordo com a agência Lusa, José Cascalho considerou a Universidade dos Açores “indispensável à região” e frisou que a sua tripolaridade é uma “vantagem”, já que a repartição pelos pólos de Ponta Delgada, Angra do Heroísmo e Horta “contribui para o dinamismo económico” das ilhas onde estão instalados.
Para o BE/Açores, esta é uma situação que pode estar em risco, já que o corte orçamental imposto pelo Governo da República tem como “resultado imediato” a eliminação de cursos no pólo de Angra do Heroísmo.
Por outro lado, este corte no financiamento implica o aumento das propinas, o que conduzirá a uma perda de alunos, tornando o ensino “elitista, apenas para os que podem pagar”.
“Esta situação augura um descalabro para o futuro dos Açores”, frisou José Cascalho, recordando que a região tem apenas 10% de licenciados, ou seja, três vezes menos que a média europeia.

PS e PCP criticam
Governo da República

No debate que se seguiu a esta declaração política, o Secretário Regional da Presidência, André Bradford, também criticou o corte de verbas para a Universidade dos Açores, que considerou ser “um caso grave de negligência do Estado para com os açorianos”.
No mesmo sentido, José San Bento, do PS, salientou que o “abandono” a que o Estado votou a Universidade dos Açores é uma “situação grave, injusta e inqualificável”.
Aníbal Pires, do PCP, também criticou a “desresponsabilização do Estado”, alertando que está a ter “consequências dramáticas”.
Por seu lado, António Marinho, do PSD, recordou que a actual situação resulta de erros do passado, frisando que “alguém deixou o país sem dinheiro”, numa alusão aos governos socialistas de José Sócrates.
A questão foi também referida por Artur Lima, do CDS-PP, para quem “a dívida da Universidade dos Açores não saiu agora do chão”.
“Há quanto tempo o Governo da República não apoia a Universidade dos Açores?”, questionou Artur Lima, acrescentando que “Mariano Gago (ministro do Ensino Superior nos governos socialistas) foi o primeiro carrasco da Universidade dos Açores”.

Vasco Cordeiro quer potenciar papel da Universidade

vasco-cordeiroO candidato do PS/Açores à Presidência do Governo Regional anunciou que o seu Governo pretende firmar com a Universidade dos Açores um Contrato para o Crescimento Económico e Criação de Emprego, que vai permitir à instituição duplicar as suas receitas resultantes da investigação que realiza.
“A consequência directa deste Contrato é o fortalecimento da capacidade financeira da Universidade dos Açores, mas um fortalecimento que não se faz na atribuição de um subsídio. A ideia do Contrato passa por a Região apoiar a Universidade dos Açores e receber algo em troca”, afirmou Vasco Cordeiro, que ontem visitou o campus de Angra do Heroísmo da instituição de Ensino Superior.
Em declarações aos jornalistas, o candidato do PS/Açores destacou a importância da Universidade dos Açores na formação de quadros e na investigação de referência num conjunto de domínios que interessa ao Arquipélago, mas também como “elemento potenciador de crescimento económico e de criação de emprego”.
Na prática, uma das vertentes deste Contrato passa pelo reforço dos mecanismos para que os resultados da investigação realizada pela Universidade dos Açores possam ser transferidos para as empresas, fortalecendo, por esta via, a competitividade da economia regional.
Segundo Vasco Cordeiro, que também já reuniu com Reitor da Universidade e visitou o Departamento de Oceanografia e Pescas, o seu Governo pretende, assim, criar as condições para reforçar a componente da própria Universidade dos Açores como motor de crescimento económico.
“Por cada euro que a Universidade dos Açores obtenha como receita própria, em resultado da investigação que realiza, o Governo atribui também um euro à Universidade, até um montante que se estima entre 5 a 6 milhões de euros anuais”, afirmou o candidato do PS/Açores.
De acordo com o candidato, este projecto constitui, por outro lado, um poderoso incentivo para que o conhecimento científico crie emprego porque permite o surgimento das chamadas “spin offs” – empresas que surgem a partir da investigação universitária.
“Temos a geração mais qualificada de sempre da nossa Autonomia e o que é necessário, para além de todos os desafios que temos de enfrentar, é aproveitar este potencial e colocá-lo ao serviço da Região”, defendeu.

Universidade dos Açores acolhe I Encontro Internacional de Educação, Currículo e Didácticas

universidade2_grandeNos dias próximos dias 27, 28 e 29 de Outubro terá lugar, na Universidade dos Açores, em Ponta Delgada, o I Encontro Internacional sobre o tema geral: Educação, Currículo e Didácticas: Tendências, Contextos e Dinâmicas.
Este evento científico conta com o apoio da Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, através da DRCT.
A Sessão de Abertura será no dia 27 (Quinta-Feira), às 9h, no Anfiteatro C, e contará com a presença do Magnífico Reitor da Universidade dos Açores e do Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos. De seguida, terá lugar a Conferência de Abertura a proferir pelo Professor Doutor António Nóvoa, Reitor da Universidade de Lisboa. Neste Encontro participarão professores e investigadores de várias universidades portuguesas, designadamente da Universidade dos Açores, da Universidade do Porto, da Universidade de Évora, da Universidade do Algarve, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, da Universidade de Lisboa e da Universidade de Aveiro. Do Estrangeiro participarão professores e investigadores da Universidade Católica de Petrópolis (Brasil), da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Brasil), da Universidade de Nantes (França) e da Universidade de Barcelona (Espanha), bem como de Universidades dos Estados Unidos da América.
A Conferência de Encerramento será proferida, no dia 29 (Sábado), às 11h.15mn, no Anfiteatro C, pelo Professor Doutor Manuel Ferreira Patrício, da Universidade de Évora.  
No Encontro serão apresentados e discutidos trabalhos em diversas sub-temáticas, em sessões plenárias, como, por exemplo, “Educação e Formação: Desafios da Contemporaneidade”, “Currículo e Didácticas: problemáticas e perspectivas”, “Formação de Educadores e Professores”, “Currículo: concepções, Organização, Contextos e Dinâmicas”, “Avaliação em Educação”, “Caminhos de Investigação e Construção do Conhecimento”. Em sessões paralelas, mediante inscrições, serão trabalhadas as seguintes sub-temáticas: “Currículo e Didácticas”, “Projectos Educativos e Curriculares”, “Tecnologias na Educação”, “Temas e Questões de Educação”, “Temas e Questões de Didácticas”.
Para apresentarem comunicações estão inscritos professores de todos os níveis de ensino.
Segundo a Organização, “Pretende-se que este Encontro seja uma Reunião Científica, na qual sejam apresentados trabalhos de investigação e reflexão desenvolvidos no âmbito da Educação, Currículo e Didácticas, numa perspectiva disciplinar, interdisciplinar, transdisciplinar e num horizonte transversal dos saberes. É uma oportunidade para investigadores, educadores e professores darem a conhecer os resultados das suas pesquisas, os seus projectos científicos em desenvolvimento, a públicos especializados mas também abrangentes e diversificados, induzindo, assim, o interesse pelo Conhecimento e pela Investigação Científica, junto de estudantes de licenciatura, mestrado e doutoramento. Será, pois, um espaço e uma oportunidade para cruzar saberes, perspectivas e olhares no campo da Educação, Currículo e Didácticas.
O tema/desígnio Educação, Currículo e Didácticas constitui, em grande parte, um património genésico e genético que caracteriza o labor científico e os modos de organização funcional no Departamento de Ciências da Educação da Universidade dos Açores, designadamente na Secção de Currículo e Didácticas. Existem Universidades, no resto do País e do Mundo, com Departamentos especializados em Educação, Currículo e Didácticas, como domínios separados, por vezes sem pontes e pontos de ligação. Um Encontro, com a matriz referida, prefigura uma unidade e uma diversidade, criando registos plurais de tendências, orientações e pontos de vista existentes sobre as áreas temáticas em análise no Encontro.
Nesta Região Ultraperiférica, em termos geofísicos, que são os Açores, queremos contribuir, em matéria de Educação, para criar novas centralidades, novos desafios, fazendo das margens oportunidades para (re)construir caminhos de significação, cruzando discursos e promovendo intertextualidades científicas a partir de saberes específicos, abertos a novas configurações.
De acordo com as opções   epistemológicas e metodológicas tomadas, o Encontro está estruturado em Comunicações Plenárias e Paralelas, nas quais participarão, respectivamente, investigadores convidados e comunicações resultantes de inscrições.”